top of page

Ações preventivas de combate à dengue são realizadas em Várzea Paulista

O setor de Vigilância e Zoonoses tem feito visitas casa a casa para fazer o Sistema LIRAa (Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti)

Devido ao aumento das chuvas e das altas temperaturas, o setor de Vigilância e Zoonoses de Várzea Paulista está realizando ações preventivas, com o intuito de combater os focos de dengue.


O setor está executando visitas diárias casa a casa, para realizar o sistema LIRAa (Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti), que indica o grau de infestação do mosquito. No mês de janeiro, foram visitados mais de 1400 imóveis, e até o momento foi registrado apenas um caso positivo de dengue no município. Os resultados preliminares indicam maior incidência na região do Jardim Buriti e Santa Terezinha.


A retomada dos mutirões contra a dengue começa neste sábado (28), abrangendo os quarteirões próximos a UBS Vila Marajó. No dia 3 de fevereiro, a visitação será no bairro Jardim Buriti.


Além disso, a Vigilância e Zoonoses realizará um mutirão dia 11 de fevereiro, na região do Santa Terezinha para alertar a população quanto a dengue e o risco com escorpiões, que será executado junto com o Grupamento de Bombeiros Civis Voluntários - GBCV.


Cuidados necessários


O setor ressalta a importância da retomada dos cuidados com criadouros e dá orientações sobre o que os munícipes podem fazer caso encontre esses focos:


· Caso os munícipes identifiquem criadouros de Aedes aegypti em seus imóveis, é importante que eliminem a água do recipiente e o higienizem, esfregando muito bem as laterais internas (local onde o mosquito fixa seus ovos). Após este procedimento, deve ser realizado o correto armazenamento e manutenção deste recipiente para que não volte a se tornar um criadouro de Aedes aegypti.


· Em casos de encontrar os criadouros de Aedes aegypti fora de seus imóveis, em imóveis vizinhos ou terrenos baldios, é importante fazer um registro na Ouvidoria Municipal, por meio do telefone (11) 4595-0037, relatando o problema e o local (endereço completo - Rua/Numeração) para que as equipes técnicas sejam direcionadas para avaliação e tomada de medidas cabíveis para sanar o problema.


“A recomendação mais importante no sentido aos cuidados é com o próprio quintal dos munícipes. Aproximadamente 80% dos criadouros encontrados estão dentro dos quintais dos imóveis, geralmente em pratos de plantas, recipientes para coleta de água de chuva e materiais esquecidos no quintal. Se o munícipe reservar apenas 10 minutos de seu tempo por dia, e verificar as condições de seu quintal, certamente conseguiremos eliminar a grande maioria dos criadouros e consequentemente diminuir a proliferação do Aedes aegypti”, ressalta o coordenador municipal da Vigilância e Zoonoses, André Purgato.
0 visualização0 comentário
bottom of page