Adeus plástico-filme: empreendedora cria “pano de cera” ideal para embalar comida


É possível evitar o uso do plástico e reduzir seu consumo em uma infinidade de pequenas coisas do dia a dia. Uma delas é o plástico-filme, que pode ser substituído pelo chamado “pano de cera”.


Biodegradável e reutilizável, o pano de cera é perfeito para embalar e guardar alimentos perecíveis sem o filme de PVC. E ele não deve nada no quesito praticidade!


Basicamente, o utensílio é feito de um pedaço de tecido 100% algodão impermeabilizado com uma camada de óleo de coco, cera de abelha ou breu (um tipo de resina vegetal). O mais legal é que ele pode ser feito em casa e também é oferecido por marcas nacionais.


Uma delas é a Envolve BioEmbalagens, criada há quase quatro anos por Luciana Caran, publicitária e professora da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Florianópolis, em Santa Catarina.


Luciana é reconhecida como a primeira empreendedora a fabricar o produto em escala industrial em nosso país. Sua fábrica fica em Campo Limpo (SP) e tem capacidade de produzir até 1.500 unidades por dia em diversos formatos e tamanhos.


Além disso, ela desenvolveu uma máquina exclusiva para confeccionar o produto.

Em entrevista ao portal Ecoa, a empreendedora explicou que os panos de cera são laváveis e podem ser reutilizados até 150 vezes (cerca de um ano). Ao final, o pano se biodegrada e pode ser destinado à compostagem.


Cada pano de cera produzido economiza incríveis 30 metros de plástico-filme em um ano!

E, caso o cliente deseje dar fim ao produto com mais praticidade, ele pode devolvê-lo à Envolve BioEmbalagens, que trabalha com logística reversa: é possível enviar o pano de cera de volta para obter desconto nas próximas compras.


Economia de plástico

Para Luciana, empreender na área de sustentabilidade sempre seu “norte”. Inicialmente, ela desejava abrir uma usina de compostagem, mas a burocracia era tamanha que ela migrou para o nicho de resíduo zero.


Após ganhar um pano de cera artesanal de uma amiga que acabava de retornar dos EUA, veio a ideia. “Fiquei enlouquecida”, brincou. Com o auxílio da internet, ela aprendeu a fazê-los e começou a vender em feiras dedicadas a produtos sustentáveis, onde ele teve uma boa aceitação.


“Eu nem imaginava [que fosse virar um negócio]. Na verdade, era uma experiência para fazer uma graninha para o final de ano, porque eu passei um ano sem receita por conta da história da compostagem”, contou.

Não demorou muito para a marcar decolar, especialmente após Luciana ficar em primeiro lugar em um edital do Ministério do Meio Ambiente voltado ao combate ao desperdício de alimentos.


Se em 2019, sua empresa vendia os produtos de forma artesanal em feiras especializadas, no ano seguinte, com a chegada da pandemia, ela precisou expandi-la para o e-commerce e o varejo.

Projeto de expansão

Hoje, o principal objetivo de Luciana é tornar o produto mais acessível em termos de valor e disponibilidade pelo território nacional. “Infelizmente não se popularizou ainda, mas é assim que começa”, afirma.


Para os próximos meses, ela espera fechar parcerias com grandes empresas, que consideram adotar o pano de cera em suas cozinhas. “Se der certo, vamos voltar nossa atenção para o mercado corporativo porque faz mais diferença, as cozinhas industriais gastam muito mais plástico”, completou a empreendedora.



O pano de cera da Envolve já está sendo utilizado na cozinha da chef Luiza Zaidan. Para ela, o produto faz a diferença.


Além da economia de plástico, a chef enfatizou que o pano conserva os alimentos tão bem quanto o filme de PVC e que, mesmo custando mais, acaba se pagando. “É um produto ecologicamente saudável e tem a praticidade de poder reutilizar. Isso gera economia de dinheiro também”, concluiu.


Fonte: ECOA Fotos: Divulgação

2 visualizações0 comentário