top of page

Bancos vão renegociar dívidas a partir de 1º de março; confira condições

Será possível renegociar débitos em atraso diretamente com os bancos, em seus canais na internet, telefone e agências, ou pelo portal Consumidor.gov.br


Arquivo/Agência Brasil


Os bancos de todo o país iniciam em 1º de março um mutirão de renegociação de dívidas de seus clientes. Promovida pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos) em parceria com o Banco Central, a Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor) e Procons, a ação vai até o dia 31 de março.

Será possível renegociar débitos em atraso diretamente com os bancos, em seus canais na internet, telefone e agências, ou pelo portal Consumidor.gov.br. É preciso ter senha da plataforma Gov.br nível prata ou ouro para acessar o portal.

Estão na lista de negociação as dívidas no cartão de crédito, cheque especial, crédito consignado e demais modalidades de crédito, com exceção das que tenham bens dados em garantia (como veículos, motocicletas e imóveis).

As condições como número de parcela, percentual de desconto e se há perdão ou não da multa variam conforme cada instituição e será negociada diretamente com o cliente. No site meubolsoemdia.com.br o consumidor encontra orientação sobre o Mutirão de Negociação e Orientação Financeira para ter acesso ao montante que deve e saber como fazer a negociação.

A última edição do mutirão ocorreu em novembro de 2022. Segundo a Febraban, foram renegociados 2,325 milhões de contratos. A ação ocorre duas vezes por ano, em março e novembro.

Os dados mais recentes sobre inadimplência mostram que o país tem cerca de 65,19 milhões de brasileiros com dívidas em atraso, segundo estudo da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) feito em janeiro. O endividamento das famílias fechou 2022 em alta. Levantamento da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) aponta que 77,9% dos consumidores tinham alguma dívida a vencer em dezembro -o quarto recorde consecutivo.

O valor representa um aumento de sete pontos percentuais em relação a 2021, quando a taxa foi de 70,9%. O cenário ainda é reflexo do aumento do endividamento das famílias durante a pandemia, somadas a um período de inflação alta e taxa de juros elevada.

Vejas as condições oferecidas

> Banco do Brasil As condições serão negociadas de acordo com o perfil de cada cliente

As renegociações podem ser feitas por WhatsApp (4004-0001) com a hashtag #renegocie, no aplicativo do Banco do Brasil, em "Solução de dívidas"; no Portal Soluções de Dívidas (bb.com.br/renegocie) e também nas agências

O mutirão será apenas para clientes com dívidas em atraso


> Itaú
O banco vai oferecer taxas a partir de 0,5% ao mês, pagamento da primeira parcela para até 60 dias, além de descontos e parcelamentos
Haverá a opção parcelamento com entrada (quanto maior o valor da entrada paga pelo cliente, melhores as condições da proposta) e descontos especiais para quem for quitar o débito de uma vez
As negociações será pelo aplicativo do Itaú; por WhatsApp, no número (11) 4004-1144 (conta comercial verificada pelo WhatsApp); e pelo site https://renegociacao.itau.com.br/, além das agências de Correios e outros canais de atendimento do banco

> Caixa Federal
A Caixa vai oferecer condições especiais para negociação à vista com desconto, mas também haverá opções de parcelamento em até 96 meses, conforme a situação de cada contrato


As dívidas da casa própria também poderão ser renegociadas na Caixa


É possível fechar acordo nos sites Caixa Negociar (www.caixa.gov.br/negociar) e Negociar Dívidas (www.negociardividas.caixa.gov.br); no app Habitação Caixa; por telefone, nos números 4004 -0104 (capitais) e 0800-1040104 (demais regiões); e por WhatsApp, no 0800-1040104


> Bradesco
O Bradesco fará análise caso a caso para oferecer as condições específicas por cliente
A renegociação será pela plataforma Consumidor.gov.br, no portal banco.bradesco/dívidas, nas agências do banco ou em outros canais digitais, como o aplicativo, por exemplo
O mutirão vai atender apenas clientes com débitos em atraso; os demais, que estejam com dificuldade para quitar parcelas futuras, não serão atendidos

> Santander
Para pessoa física, haverá ofertas com e sem entrada, taxas flexíveis (que não foram informadas) e descontos de até 90%
O parcelamento poderá ser em até 120 vezes
As ofertas de renegociação vão depender do perfil de cada cliente, mas haverá condições especiais a quem optar pelo mutirão
A renegociação poderá ser feita por telefone, no 4004-3535 (para capitais e regiões metropolitanas) e 0800-7023535 (demais localidades); o atendimento é de segunda a sexta, das 8h às 21h, e sábado, das 9h às 16h
Há ainda os sites www.santander.com.br/renegociacao e www.negociemais.santanderfinanciamentos.com.br
Também haverá negociações pelo WhatsApp 4004-9090

> Mercantil
O cliente deverá enviar a solicitação de renegociação por meio da plataforma Consumidor.gov.br
Após a solicitação, o Mercantil encaminhará a solicitação para a área gestora responsável, que irá fazer uma proposta de negociação da dívida em atraso

Saiba fechar o acordo Antes de fechar o acordo no mutirão, é preciso saber o valor da dívida e avaliar as condições que estão sendo propostas pelo banco ou financeira. Confira as dicas:

1. Faça as contas para entender suas dívidas Faça uma lista de todas as contas e parcelas atrasadas, com os respectivos valores

Coloque no topo da lista aquelas que você precisa quitar primeiro, porque são essenciais para te devolver o poder de compra ou porque têm juros muito altos, como é o caso do cartão de crédito ou cheque especial

Depois, é preciso saber quanto terá disponível em cada mês para pagar os valores negociados, considerando as demais despesas que você já possui

2. Negocie com os credores Entenda como está sendo a negociação: Qual o percentual de desconto sobre o total da dívida? Se pagar à vista, há desconto maior? Se parcelar, quanto são os juros?

Defina um objetivo, o valor que poderá dispor e faça contrapostas

Se ainda ficarem dúvidas, imprima a proposta de negociação, converse com a família e, só depois de chegar a uma conclusão, feche o acordo

3. Organize-se para não continuar devendo Ao fechar o acordo, saiba que é preciso cumpri-lo até o final, portanto, negocie apenas valores que pode pagar com a renda que já tem

Para garantir que não tenha mais dívidas negativadas em seu nome, aposte no planejamento financeiro, equilibre seus ganhos e gastos mensais

Faça uma planilha e envolva toda a família nesse controle e no esforço para economizar


Fonte: Serasa Educa

0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page