top of page

COP28: Urgência Climática Global exige ações imediatas

Dubai sediará a 28ª Conferência do Clima da ONU, marcando o oitavo aniversário do Acordo de Paris. Contudo, os sinais de uma crise climática grave são evidentes, com o aumento contínuo das emissões de gases de efeito estufa e o planeta rumando para um aquecimento de 2,5 ºC a 2,9 ºC


O Acordo de Paris, abrangendo 195 nações, estabeleceu a meta de reduzir as emissões a fim de conter o aumento da temperatura global a menos de 2º C, com esforços adicionais para limitá-lo a 1,5 ºC em comparação aos níveis pré-Revolução Industrial. Às vésperas da COP28 - Conferência de Mudanças Climáticas da Organização das Nações Unidas (ONU), marcada para ocorrer no final deste ano, a partir de 30 de novembro, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, o evento torna-se crucial para avaliar o progresso global desde a assinatura do acordo. Até o dia 12 de dezembro, espera-se que revele indicadores alarmantes de avanços insuficientes, destacando a preocupante perspectiva de um aquecimento global acelerado. Ao chegar ao final de 2023, possivelmente o ano mais quente registrado, as emissões de gases de efeito estufa atingiram níveis recordes. Enquanto os eventos climáticos extremos se multiplicam, os esforços para reduzir emissões ficam aquém do necessário. O planeta enfrenta desafios significativos, com prejuízos humanos e econômicos se acumulando.

O relatório técnico da Convenção do Clima da ONU destaca a necessidade de ações mais robustas em todas as frentes. Apesar do impulso inicial do Acordo de Paris, o mundo enfrenta uma urgência ainda maior para responder à crise climática. A COP28 não só requer uma análise de erros e acertos, mas também a formulação de um plano para direcionar o planeta a um aquecimento mais sustentável.

Os custos para adaptação em países em desenvolvimento são estimados entre US$ 215 bilhões e US$ 387 bilhões anualmente nesta década, exigindo financiamento público internacional 10 a 18 vezes maior do que os fluxos atuais. Embora ações tenham sido tomadas globalmente, as emissões ainda crescem, atingindo 54,7 bilhões de toneladas de CO2e em 2022, segundo o Emissions Gap Report 2023 do Pnuma.

A temperatura média global já ultrapassou 1,5 ºC acima do período pré-industrial, com todos os meses desde julho estabelecendo recordes de calor. Em 17 de novembro, o planeta registrou um dia 2 ºC acima da média pré-industrial durante uma onda de calor no Brasil. A expectativa é que 2023 seja o ano mais quente já registrado.

A COP28 emerge como um ponto crítico para a definição de caminhos mais ambiciosos na redução de emissões, implementação de metas e fortalecimento da adaptação aos impactos climáticos. A urgência climática global exige ações imediatas para reverter a trajetória preocupante em que o planeta se encontra.








4 visualizações0 comentário
bottom of page