Deslizamento de barranco em Várzea Paulista atinge empresas causando grandes prejuízos

Atualizado: 6 de fev.

Paredes de empresas localizadas no bairro Bertioga, em Várzea Paulista, foram ao chão com a queda de terra e água.

Com a queda da parede equipamentos importados foram cobertos pela lama| Foto: Dircélio Timóteo


Empresas de Várzea Paulista ficaram parcialmente destruídas após serem atingidas por uma enxurrada de lama, no bairro do Jardim Bertioga, em Várzea Paulista, com as chuvas decorrentes no início de fevereiro. Paredes dos estabelecimentos foram ao chão. Apesar da gravidade da ocorrência, não houveram vítimas.


"Felizmente, não tivemos vítimas fatais, nem mesmo feridos, de forma que, embora estejamos falando de danos, os prejuízos sofridos são patrimoniais. Mesmo assim, estamos profundamente consternados com o ocorrido. Entendemos que será preciso uma investigação completa visando apurar a real causa do deslizamento e, sobretudo, a sua origem e localização, como forma de se identificar as responsabilidades sobre o evento específico. – comentou Alan Fortes, proprietário da distribuidora DuAlan Alimentos.

As empresas ficam na Rua Bertioga e dividem espaço com uma área de preservação ambiental e inúmeras casas que compõem o Jardim Itália, pela Rua Roma.

Foto: Dircélio Timóteo


As galerias para escoamento da água pluvial, não conseguiram atender a capacidade de chuva no último final de semana, desencadeando enxurradas de água terreno abaixo. Embora existam muitas árvores e uma forte vegetação, não foi o suficiente para conter a queda d´água que carregou pedras, terras e madeiras.


Equipes da Inflaestrutura reconstruindo via de escoamento de água pluvial | Foto: Dircélio Timóteo


Uma escada hidráulica foi construída no início do loteamento para dissipar o volume de água, porém a construção não atendeu nível técnico para garantir maior eficiência, por já existirem os barracões industriais na Avenida Bertioga, as escadas foram feitas em sentido horizontais, com vários pontos em curvas sinuosas, cuja parede foi destruída pela pressão da passagem da água ao fazer a curva


Máquinas e equipamentos foram tomados pela lama e o prejuízo é enorme. | Foto: Dircélio Timóteo


Alan Fortes disse para a reportagem que o local é complexo, com um loteamento instalado numa faixa de terrenos íngremes, situados imediatamente acima do local e cujas questões estruturais também devem ser investigadas com fatores coadjuvantes, ou como somatórios de potencial do evento danoso.


Ele deixou claro que disponibilizará todo apoio técnico a seu alcance, de modo a apurar as causas e as consequências atuais e na prevenção futura do desastre ocorrido na encosta. Toda diretoria está buscando elementos para apuração das responsabilidades por todos os danos causados.


LIVE mostra com detalhes o estrago:

https://www.facebook.com/PortalJardimSantaGertrudes/videos/239588805031209

0 visualização0 comentário