Dia das Mães: Como celebrar a data à distância



Passamos pelo Natal, réveillon e por uma Páscoa atípica, não tivemos carnaval, e chegamos ao Dia das Mães, data comercial e familiar, sem poder nos reunir com nossas mãe e avós como antes, cheio de gente e muita badalação.


Felizmente a tecnologia está aí para aplacar um pouco a distância e o abraço desse ano terá que ser virtual ou com um simples toque dos punhos.


Saudade que dura anos


Para Juliana Cassalho, a data agrava uma saudade que se prolonga desde 2018, quando se mudou para Canadá e, desde então, mora longe da mãe. Mas com a ascenção da tecnologia a distância foi reduzida. Ela comenta que conversa com Sandra Cassalho quase todos os dias.


" Não é a mesma coisa, mas é o que temos e sou muito grata pela oportunidade; pior sería se o único contato fosse como antigamente, via cartas ou telefone" diz Juliana.


Lembrando que no proxímo ano quer passar o dia das mães ao lado dela



A mesa situação situação passa Debóra Santos, que mora fora do país, ela comenta que não vê a hora de voltar para o Brasil e abraçar sua mãe. Espera que a pandemia acabe logo para novamente comemorarem juntos data tão importantes como o dia das mães

Devemos também pensar nas tantas mães que são profissionais da saúde e estão na linha de frente da batalha contra a Covid-19, afastadas de seus familiares para protegê-los e arriscando a própria vida. Elas merecem toda a nossa admiração e agradecimentos.

Desde o início, médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e todos os demais funcionários de hospitais buscaram formas de ter o mínimo de contato possível com quem moram em suas casas.



Jordana Kotinda não está distantante, comenta que a pandemia serviu com o preço inestimável de milhares de vidas, para revermos alguns valores, principalmente de ter saído com sua mãe.


Quantas vezes deixamos de ver parentes e amigos por estarmos ocupados ou cansados? Se soubéssemos do isolamento que iríamos enfrentar, talvez tivéssemos falado menos “nãos”.
21 visualizações0 comentário