Filipinos criam máscaras ecológicas que se degradam em apenas 2 meses



As máscaras são essenciais nesta quarentena, mas elas também geram um volume muito grande de lixo para a natureza.


Uma pesquisa feita no Departamento de Ciência e Tecnologia, descobriu que dá para fabricar máscaras ecológicas a partir da fibra do abacá, planta da família Musaceae (a mesma da bananeira) nativa das Filipinas.


A partir dela, é possível extrair uma fibra grossa e resistente, que é fácil de processar e mais barata. A grande vantagem é que a fibra se degrada em apenas 2 meses, diferente do plástico – utilizado nas máscaras convencionais -, que pode levar até 400 anos.




O relatório do Fórum Econômico Mundial, mostrou ainda, que o abacá é mais resistente à água do que uma máscara N-95 comercial. Isso torna a peça muito mais segura, principalmente para os profissionais de saúde.


As máscaras ecológicas já são fabricadas nas Filipinas e, por enquanto, distribuídas em menor escala.


mais resistente à água do que uma máscara N-95 comercial


Fonte: Ciclo Vivo



9 visualizações0 comentário