Maritaca é resgatada sem um dos pés após atingir linha cortante com cerol

Do alto não dá para perceber, mas o cerol - feito à base de vidro moído e cola - continua sendo usado. Como a linha fica transparente, os pássaros não conseguem desviar.

Willie é uma maritaca típica da região da mata atlântica e a sorte dela foi ter encontrado em seu caminho o ambientalista João Gonçalves, também conhecido como Kal, que indo para o trabalho, em Várzea Paulista, encontrou a ave caída no chão com as patas enroscadas em linhas de pipa e sem um dos pé kal não teve dúvida, precisou socorrer a maritaca com urgência.


“Muitos deles morrem. Willie, teve sorte, acabou sobrevivendo à queda e à lesão imediata. Muitas vezes pode cortar a asa inteira, ou até pode cortar o animal ao meio”, explica Kal

Devido uma experiência negativa anteriormente, onde a Mata Ciliar de Jundiaí recusou atendimento a um sagui resgatado em Várzea Paulista, devido dificuldades interna. Decidiu ele mesmo cuidar da ave


Carinhosa, alegre e muito sapeca ,Willie já faz parte da família Gonçalves e o fato de não ter um de seus pés não diminui suas traquinagens, muito pelo contrário, ela sobe e desce uma escadinha de corda em seu viveiro, 'ela definitivamente não para ', diz Giovana Gonçalves


“O ideal seria que as pessoas não soltassem pipa com cerol, que as pessoas tivessem consciência do problema que esse tipo de coisa pode provocar não somente em animais. mas também em humanos”


Usar cerol é crime. Quem vende ou guarda cerol em casa pode pegar de dois a cinco anos de prisão além de pagar multa.

12 visualizações0 comentário