top of page

Mulheres adotadas em Jundiaí procuram por mães biológicas


Foto: Adobe Stock


A angústia de não conhecer os pais biológicos perseguem muitos filhos, que utilizam as redes sociais por informações sobre o paradeiro de seus genitores. Alguns até sonham com essa possibilidade.


Em uma publicação, Vanessa Mazzei Bromati faz um apelo por informações que a leve até sua mãe. Ela escreve que nasceu em Jundiaí, no hospital São Vicente de Paulo, entre junho e julho de 1982, e segundo informações sua mãe entregou ela para adoção para dona de uma lanchonete chamada “João de Barro”, na época ficava Avenida Dr. Cavalcante. No relato ela menciona que sua mãe era frequentadora do local. Na época ela tinha entre 18 e 19 anos, e se chamava Iracema, porém não tem certeza se o nome está correto. Conseguiu apurar que durante a gravidez uma mulher de nome Ilda a ajudou. Infelizmente não conseguiu mais detalhes.


Reprodução das redes sociais


O sonho de Vanessa, que hoje está bem e tem família formada, era ter reencontrado sua mãe biológica em 2022, como um presente de Natal, mas ainda tem fé e esperança.



Gislaine Carvalho, também de Jundiaí, tem o mesmo sonho. Depois de nascer, em 1978 no Hospital Geral, sua mãe a deixou com seus avós, que moravam no Anhangabaú e desapareceu. Nem seus avós ou outro parente tiveram mais notícias de sua mãe, que se chama Maria Aparecida Leite.



São muitos casos e cada qual relata seus motivos, mas nenhuma publicação demonstra mágoa ou rancor. A maioria quer abraçar seus entes e entender melhor a verdadeira história. Outro detalhe importante é que os filhos receberam apoio de sua família atual e dos pais adotivos.



Foto: Adobe Stock

9 visualizações0 comentário
bottom of page