Parentes e amigos se emocionam em ato para o pequeno Léo, morto atropelamento na estrada velha de SP



Neste sábado,17, um ato na Praça Benedicto de Camargo, no bairro do Jardim Santa Gertrudes - intitulado como “Movimento do amor” emocionaram amigos e família do menino, Leonardo Alves Araújo. Oração e clamor por justiça ecoaram na manhã, atraindo olhares curiosos e pessoas solidarias.


O caso ganhou repercussão na cidade após sua prematura morte por atropelamento no dia 28 de setembro, na Rodovia Presidente Tancredo de Almeida Neves. A família que acredita na justiça vai esperar a decisão das autoridades. Porém um movimento foi criado para dar apoio às famílias que perderam seus entes por imprudência


“ É um sentimento de impotência incrível, está muito além do que eu poderia fazer”, diz Juliana Alves de Souza, de 37 anos, mãe do Léo, que tinha 13 anos quando um carro dirigido por um motorista supostamente embriagado atingiu o pai, tio e primo do adolescente, que foi a óbito semanas depois.


Depois que acontece na nossa família, a gente passa a observar mais as coisas. Os carros são muito importantes, e auxilia em vários âmbitos. Porém dirigido por motoristas imprudentes, imaturos, sem preocupação com valores e associadas aos problemas em nossa malha rodoviária transforma-se em uma arma mortal – com poder de desestrutura famílias inteiras ”, desabafa a mãe.

O Movimento nasceu com a proposta: chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos na Rodovia Presidente Tancredo de almeida Neves, antiga estrada velha de São Paulo, além de ajudar famílias com apoio emocional a enfrentar a dor - " Muitos pais tendem a desistir da vida depois de perder um ente para o trânsito ou para quaisquer situação repentina, seja por imprudência de terceiros ou doença" – ressaltou Juliana.





60 visualizações0 comentário