top of page

Robô caracol pode combater poluição por microplásticos nos oceanos

O protótipo de robô inspirado no caracol-maçã consegue recolher microplásticos das superfícies de oceanos gastando menos energia. - Foto: reprodução/madhourse/stock


Cientistas da Universidade de Cornell desenvolveram um protótipo de robô inspirado no caracol-maçã  para combater a poluição por microplásticos nos oceanos, mares e lagos.


Os pesquisadores usaram uma impressora 3D para criar uma folha flexível, que se movimenta como ondas quando acionada por uma estrutura rotativa. Essa atividade ondulatória funciona como um sistema de bombeamento capaz de atrair água e partículas, que captura esses microplásticos.


Os microplásticos são pedaços bem pequenos de plástico que poluem a água e podem vir de vários produtos que usamos. Eles são um problema porque nos ambientes aquáticos, podem ser ingeridos por peixes e também podem transportar substâncias tóxicas.


Mais eficiente e ecológico


O jeito comum de pegar lixos grandes, com redes ou correias, não funciona para recolher os microplásticos.

Normalmente eles usam uma máquina especial que gasta muita energia.

E foi para resolver esse problema, que os cientistas desenvolveram o robô caracol, mais eficiente e ecológico nesse processo.


Inspiração no caracol


Sunghwan Jung, professor e um dos autores do estudo, disse que se inspirou na maneira como o caracol pega comida na água.

O robô faz o mesmo movimento do pé do caracol para direcionar a água e pegar pequenas partículas que estão flutuando.


“A forma como o caracol interage com o ambiente foi crucial para a criação e aperfeiçoamento deste robô”, disse o professor.

Gasta menos energia


Por ser pequeno, o protótipo só precisa de 5 volts de eletricidade para funcionar e sugar água.

Para equilibrar o peso da bateria e do motor, ele tem um dispositivo que faz o robô flutuar e não afundar.

Esse protótipo pode ser um grande aliado na preservação dos oceanos e na saúde da vida marinha.


Com informações de Meteored.

1 visualização0 comentário
bottom of page