show_1.jpg

MOVIMENTO CICLOVIDA

NÓS REALIZAMOS A PRIMEIRA BICICLETADA DE VÁRZEA PAULISTA E APOIAMOS A CONSTRUÇÃO DE CICLOVIAS PARA NOSSA CIDADE!

Se aventurar a sair pela cidade montado em sua bicicleta rumo às compras, ao trabalho, ao lazer, à escola, pode ser considerado um ato de extrema coragem. Afinal, as ruas, as avenidas e, principalmente, a via do Rio Jundiaí, que liga as cidades de Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista e Jundiaí, não possuem ciclovias. Portanto, bicicletas, carros, ônibus e motos são obrigados a dividir o mesmo espaço de forma desleal e, principalmente, insegura.

Nesse cenário caótico, é comum (e até aborrecedor quando se está a pé) presenciar ciclistas circulando pelas calçadas – via exclusiva dos pedestres. Poucos são aqueles que concluem que as bicicletas estão ali exatamente porque as ruas não oferecem segurança. Ou seja, impera a lei de sobrevivência, já que apenas os veículos motorizados possuem seu direito de ir e vir garantido (até os pedestres, em diversos pontos de Várzea Paulista, não contam com calçadas).

Assim como as demais cidades do aglomerado urbano de Jundiaí, a frota de veículos em Várzea Paulista não para de crescer e a falta de melhor planejamento viário, provoca grande lentidão nos horários de ‘rush’, inclusive, em regiões não centrais. Portanto, é extremamente cabível se pensar conjuntamente – órgãos públicos e sociedade – na real execução de um eficiente projeto de malhas ciclo-viárias, sobretudo, na marginal do Rio Jundiaí, favorecendo centenas de pessoas que se utilizam daquela via diariamente.

Num mundo tão acelerado e repleto de problemas das mais diferentes naturezas, parece ser utópico pensar em ciclovias. Entretanto, numa época em que é preciso redirecionar os modelos de desenvolvimento em busca de uma melhoria da qualidade de vida, as ciclovias representam uma possibilidade saudável de combate ao trânsito, ao excessivo uso do veículo, à queima de combustível e, consequentemente, à poluição do ar.

Nada muda da noite para o dia. Sabemos que não basta construir ciclovias e ponto final. Para uma real mudança de hábito e convencimento de que as ciclovias são uma tendência, são necessárias trocas de informações entre sociedade e órgão público, principalmente no momento da execução do projeto (já mencionado anteriormente), investimento em extensas campanhas educativas e, ainda, estímulo ao quesito segurança com relação ao estacionamento das bikes nos mais diferentes pontos das cidades que compõem o Aglomerado Urbano de Jundiaí. Portanto, tendo em mente que se trata de um conjunto de ações, buscamos sempre mais adeptos ao ‘Movimento Ciclovida’, lançado pela ONG ECO&VIDA, e abrir o debate entre a população, entidades civis e os órgãos públicos de toda a região.

E você, tem alguma ideia, proposta ou projeto que pode trazer uma solução para os ciclistas de nossa cidade? Compartilhe conosco! Entre em contato.